Notícias


Em três meses, site de 'crowdfunding' Vasco Dívida Zero ajuda clube a abater mais de R$ 500 mil em dívidas - 31/07/2013 08:04

No início de maio de 2013, o estudante de Direito Giordano Mochel, residente em São Luís (MA), teve uma ideia. Vascaíno fanático, ele pensou em como poderia ajudar o clube do coração a abater uma série de dívidas com a Receita Federal, que somam mais de R$ 80 milhões, sem correr o risco de ver o dinheiro desviado antes de chegar ao seu destino.

Nascia o Vasco Dívida Zero, site de "crowdfunding" que reúne torcedores dispostos a ajudar o Cruzmaltino a se reerguer financeiramente. Os voluntários geram DARFs (Documentos de Arrecadação de Receitas Federais) de um mínimo de R$ 20 no site da Receita, de modo a abater, uma a uma, as dívidas do clube com a instituição. Em menos de três meses, desde a criação em 6 de maio até o final de julho, foram quatro débitos "zerados", e um total de R$ 542.155,00 arrecadados. Sucesso absoluto, que satisfaz Giordano e o leva a contar a curiosa história de como ajudou a idealizar todo o projeto, e da sua divulgação inicial através do fórum Netvasco.

"Por coincidência, eu estava fazendo uma cadeira que era Direito Tributário, e estava dando extinção de crédito tributário. Cheguei para o professor, que era botafoguense, e não perguntei para ele diretamente. Usei a analogia de um bar. O dono, que tem uma dívida de R$ 5 mil, chega para os caras que bebem lá há dez anos, que são amigos dele, e diz: 'tenho que fechar o bar porque não tenho como pagar a minha dívida'. Os caras, querendo ajudá-lo, se oferecem para pagar R$ 500 cada um para abater a dívida. Os clientes, é claro, seriam os torcedores, e o Vasco seria o bar. O professor disse que eles poderiam pagar. Se eles soubessem o código da divida no site da Receita poderiam preencher DARFs de um valor, em um esquema de parcelamento cortado. Aí foi aquela luz. Botei isso no fórum Netvasco, do qual participo. Descobrimos os códigos, testamos um pagamento e funcionou, vimos que três dias depois o valor tinha sido abatido da dívida no site da Receita. Foi a luz", recordou-se Giordano, em entrevista ao ESPN.com.br.

Inspiração em campanha 'abortada', com uma diferença: independência

O Vasco Dívida Zero foi inspirado pela Campanha dos Cem Mil, que incentivava os torcedores a depositar dinheiro diretamente na conta do clube, de modo a ajudar na recuperação da sua saúde financeira. O projeto, no entanto, nunca saiu do papel, devido à falta de apoio da diretoria.

Giordano não nega as semelhanças entre os dois sites, mas faz questão de apontar a diferença fundamental: o Vasco Dívida Zero não tem qualquer ligação oficial oficial com o clube. A relação, segundo o estudante, fica apenas na ajuda para divulgar o projeto. Até o momento, a diretoria já permitiu que entrassem faixas e panfletos nos estádios. O próximo passo é a exibição da marca na camisa cruzmaltina.

Torcedores podem doar a partir de R$ 20 para ajudar o Vasco a quitar suas dívidas com a Receita Federal


"Nós nos inspiramos na Campanha dos Cem Mil, sim, mas a Campanha dos Cem Mil nunca saiu do papel. Se saísse, nos apoiaríamos eles, claro, mas nada mais do que isso. Eles têm uma relação oficial com o clube. Nós somos um movimento que não é de situação nem de oposição, não temos partido dentro do Vasco. A nossa relação com o clube é muito boa, mas não passa da questão da divulgação.O Cristiano Koehler [diretor geral] nos apoia, gosta do projeto. Ele permitiu que a gente levasse uma faixa para os jogos do Vasco e panfletamos lá. Eu mesmo moro em São Luís, mas fui a Brasília para o jogo contra o Flamengo e ao Rio para o jogo contra o Fluminense. Toda ajuda para divulgação é boa. O nosso ideal, agora, é expor a nossa marca na camisa do Vasco", explicou.

O Vasco Dívida Zero não conquistou apenas o apoio da diretoria do clube. Jogadores, ex-jogadores e torcedores, entre ilustres e desconhecidos, já vestiram, literalmente, a camisa do projeto. Ninguém, no entanto, ficou mais feliz ao saber das boas novas que os funcionários cruzmaltinos.

"Os jogadores gostam muito da campanha. O Montoya, o André, muitos já posaram com a camisa do Vasco Dívida Zero. Outros ex-jogadores também, como o Carlos Germano, o Pedrinho. Mas quem ficou mais feliz na época que nós começamos a divulgar a campanha foram os funcionários. Eles estavam com dois meses de salários atrasados na época, e apoiaram muito qualquer coisa que ajudasse o clube a melhorar a sua situação financeira", contou Giordano.

Metas: R$ 87 milhões em três anos e compromisso com o fim de dívidas

Recentemente, o Vasco firmou um acordo com o Ministério da Fazenda para o parcelamento de uma dívida, e a consequente emissão de Certidões Negativas de Débito (CNDs). Estas CNDs permitiram que o clube acertasse contratos de patrocínio com a montadora japonesa Nissan e a Caixa Econômica Federal. Para Giordano, entretanto, este acordo não é o suficiente, e o Dívida Zero tem de crescer cada vez mais.

Com R$ 500 mil arrecadados em pouco menos de três meses, o projeto tem por objetivo levantar o máximo possível de fundos. Giordano contou que o próprio diretor geral Cristiano Koehler pediu que o site triplicasse o seu número de inscritos, que hoje está em 13.508. Mas as projeções dos próprios organizadores, hoje espalhados por todo o Brasil, são ainda maiores: considerando o tamanho da torcida vascaína, o estudante maranhense pensa em chegar a 100 mil "associados", e consequentemente quitar toda a dívida de R$ 87.827.481,47 em três anos. Não obstante, ele revelou o desejo de implementar no estatuto do clube uma regra que impeça os dirigentes de criar novas dívidas.

"O próprio Cristiano Koehler nos colocou essa meta, de triplicar o número de inscritos. Hoje nós temos 13 mil, mas só cerca de 8 mil são ativos, ou seja, contribuem com o pagamento de DARFs. O nosso valor é muito significativo. R$ 540 mil em menos de três meses correspondem a R$ 2,5 milhão por ano. Isso seria o equivalente a um contrato de patrocínio. A torcida do Vasco é uma torcida nacional, não é só uma torcida carioca. Nós temos gente aqui no Maranhão, no Rio, em todo o Brasil. Então nós queremos crescer cada vez mais. Se conseguirmos chegar a 100 mil associados, podemos abater toda a dívida em dois, três anos. Também queremos colocar algo no estatuto que impeça os dirigentes de contrair novas dívidas. Quando um funcionário público lesa o local onde ele trabalha, ele é responsabilizado, e eu penso que também deve ser assim nos clubes de futebol", concluiu.

O vascaíno interessado em contribuir para esta meta deve acessar o site www.vascodividazero.com.br. Lá, o torcedor encontra todas as instruções sobre como inscrever-se, gerar um DARF e ajudar o clube a quitar mais uma dívida com a Receita Federal. Após abater dívidas de R$ 6.297,84, R$ 30.810,68, R$ 98.344,16 e R$ 66.982,10, a campanha luta agora para quitar um débito de R$ 47.673,93. Até a noite de terça-feira, foram R$ 30.800,00 pagos.

Fonte: ESPN



<< voltar para a página inicial